quinta-feira, 30 de junho de 2011

Redução de Custos - Aquecedor Solar

 “Brasil, pouco se cogita sobre os elevados potenciais naturais com extraordinária incidência solar. O aproveitamento da energia gerada pelo Sol, inesgotável na escala terrestre de tempo, tanto como fonte de calor quanto de luz, é hoje, sem sombra de dúvidas, uma das alternativas energéticas mais promissoras. E quando se fala em energia, deve-se lembrar de que o Sol é responsável pela origem de praticamente todas as outras fontes de energia. Em outras palavras, as fontes de energia são, em última instância, derivadas da energia do Sol.” VIDAL & VASCONCELOS (2002).




Aquecimento solar em hospedagem.
Muitas empresas turísticas estão começando a tomar medidas positivas para se tornarem mais ambiental e socialmente responsáveis. Porém, a sustentabilidade a médio-longo prazo necessitará de mudanças mais profundas na forma em que o setor opera. O interesse próprio poderá provocar esta mudança: ao tempo em que a queda de qualidade ambiental pode afetar diretamente a receita do setor, está cada vez mais evidente que a adoção de práticas mais conscientes e a ajuda para tornar os destinos mais atraentes, poderão reduzir custos e aumentar os lucros.

O aquecimento solar surge como uma oportunidade viável e extremamente positiva principalmente quando avaliamos os principais quesitos de sustentabilidade para o setor com relação à tecnologia.

O aquecimento solar pode suprir grande parte da demanda de água quente de qualquer estabelecimento e existem casos de sucesso de sistemas implantados em todas as tipologias de meios de hospedagem, como: hotéis de qualquer porte, pousadas, resorts, campings, apart-hotéis,estalagens e pensões, hotéis“multiblocos”,motéis, etc.

As tecnologias do aquecimento solar podem ser utilizadas para fornecer água quente para aplicações que exigem diferentes níveis de temperaturas e que determinam a tecnologia mais adequada:

            Baixas temperaturas (entre 26 e 34ºC): utilização coletores solares planos abertos;
            Médias temperaturas ( até 80 o C): utilização de coletores solares planos fechados;

A água aquecida é destinada para diversas finalidades que tornam a estadia dos hóspedes mais confortáveis e os custos operacionais e ambientais do meio de hospedagem bastante reduzidos: banheiros, vestiários, lavanderias, cozinhas e restaurantes, piscinas e saunas, serviços especiais.
O aquecimento solar apresenta eficiência comprovada em toda extensão territorial do Brasil. Tem enorme potencial de utilização no setor hoteleiro em todo país justamente em razão dos elevados índices solarimétricos durante o ano inteiro e o perfeito casamento entre os períodos de maior ocupação e maior demanda de energia.

Com o desenvolvimento de tecnologias anticongelamento, como válvulas especiais e sistemas de troca indireta de calor, mesmo em regiões muito frias, como o Sul do País, o aquecimento solar pode ser amplamente utilizado.

Os aquecedores solares são sistemas centrais de aquecimento e por isso atendem muito bem a demanda de água quente para diferentes vazões e níveis de conforto pré-definidos pelo empreendedor. Diversos sistemas de aquecimento solar foram implantados no Brasil e no mundo atendendo desde pequenas pousadas até grandes hotéis proporcionando elevado conforto com significativas economias.

O aquecimento solar tem-se mostrado um excelente investimento para o empresário de meios de hospedagem com tempos de retorno bastante atrativos para o setor. A tecnologia deixou de ser apenas uma forma alternativa de aquecimento, atendendo o mercado com competitividade e inúmeras vantagens em relação aos aquecedores convencionais:

Um sistema de aquecimento solar pode reduzir em mais de 70% o consumo de energia elétrica ou de combustíveis (gás, diesel, óleo, etc.) destinados à produção de energia térmica. Dessa forma, proporciona uma efetiva e elevada redução em seus custos operacionais;

Se comparado ao chuveiro elétrico, normalmente adotado em pequenos hotéis e pousadas, o aquecedor solar possui um maior investimento inicial. Deve-se destacar, entretanto, que o nível de conforto oferecido pelos chuveiros elétricos é bastante questionável. Neste caso, o retorno de investimento fica entre 1 e 3 anos, dependendo da taxa de ocupação do meio de hospedagem;

Em sistemas de aquecimento solar central relatos de proprietários e administradores da indústria hoteleira indicam tempos de retorno ainda menores, entre 8 e 18 meses;

Ao contrário de sistemas convencionais, o aquecimento solar apresenta baixíssimo custo de manutenção, restrito apenas à simples tarefa de limpeza dos coletores solares e vistoria periódica nos sistemas de circulação e comando;

Com uma vida útil estimada de, pelo menos, 15 anos e garantia de fábrica da ordem de 5 anos, o aquecimento solar torna-se um excelente investimento para o setor hoteleiro;

Após o tempo de retorno do investimento no aquecimento solar, a economia decorrente da substituição dos combustíveis convencionais cujos preços crescem a cada ano, gera lucros crescentes para o empresário.

A utilização e a ampla divulgação do uso de uma energia renovável e limpa como é o aquecimento solar em empreendimentos hoteleiros conta com a profunda simpatia dos hóspedes. Além de evidenciar o comprometimento dos proprietários, funcionários e hóspedes com a preservação do meio ambiente e sua sustentabilidade.

Utilizar o aquecimento solar é um ato de responsabilidade social.A atividade gera empregos diretos e indiretos locais e permanentes disseminando o conceito de eficiência energética entre todos os envolvidos.

O aquecimento solar é ecologicamente correto:

Aproveita uma forma de energia inesgotável e renovável.

Não emite quaisquer tipos de poluentes como gases de efeito estufa (CO2,metano, fuligem, etc.) em sua utilização.

Estudos realizados por Leonelli et al. demonstram que, em média, após 15 meses de sua utilização, o aquecimento solar já economizou toda a energia consumida na fabricação de seus componentes como chapas e tubos de cobre, aço-inoxidável, vidros, etc.

Agindo de forma responsável e consciente o empresário do setor deve estar atento ainda a dois fatos muito importantes quando utiliza o aquecimento solar:

Respeita de forma efetiva a principal fonte de atração para do setor turístico: o meio ambiente;

Informa aos hóspedes que utiliza a tecnologia limpa e renovável de aquecedores solares, pois quando estes são informados sobre as ações que o hotel vem tomando com relação à preservação do meio ambiente adquirem um maior grau de respeito com o empreendimento.

Escolha do equipamento na hora da aquisição.

Todo Coletor Solar é caracterizado por uma "Curva de eficiência" que mostra a variação da eficiência térmica do equipamento com a temperatura de operação.

No Brasil essa curva é representada pelo "Selo de eficiência energética". Ele nos indica qual é a eficiência média do equipamento e quanto o equipamento produz de energia por mês.

O selo também nos mostra numa escala de A a G a diferença entre os equipamentos disponíveis no mercado. Quanto mais próximo de A for a classificação do equipamento maior será a produção de energia.
O custo benefício pode ser calculado dividindo-se a quantidade de energia gerada por metro quadrado pelo preço do metro quadrado do equipamento. Segue exemplo de comparação na tabela abaixo.

  Tabela 1. Cálculo de custo benefício


 Energia Gerada por
metro quadrado
por mês kWh/mês/m2
 (X)
 Certificação
 Custo do Metro
Quadrado (R$)
(Y)
 Valor de
referência
R$/kWh
(Y/X)


 Coletor A
 81,3
 A
330,00 
 4,059


 Coletor B
 67,2
 C
310,00 
 4,610



Pode-se perceber que mesmo sendo mais caro, o coletor solar com a classificação "A" tem melhor custo benefício pois gera energia a um custo mais baixo.

Abaixo podem ser vizualizadas duas tabelas. A primeira com características de um sistema de aquecimento solar operando com coletores solares marca "SOLARES" MODELO "CSP-140V" com 1,41m2 de área de superfície e classificação "A". A segunda tabela é referente a um sistema com coletores solares genéricos com a classificação "D".

   Tabela 2.  Coletor SOLARES CSP-140V - Classificação "A" no INMETRO

 Volume do reservatório (L)
 área de coletores
 área (m2)
Consumo  anual médio de energia com aquecimento (kWh)
 Economia média anual com o aquecimento solar
 (kWh)
 Economia média anual 
(R$)
 Fração de economia (%)


 200
 mínima
 2,00
3.823
1.951
 780,48
 51,03


 200
 otimizada
 2,80
 3.823
 2.732
 1.092,67
 71,45


 300
 mínima
 3,00
 5.735
2.927 
 1.170,72
51,03 


 300
 otimizada
 4,20
 5.735
 4.098
 1.639,01
71,45 


 400
 mínima
 4,00
 7.647
 3.902
 1.560,96
51,03 


 400
 otimizada
 5,60
 7.647
 5.463
 2.185,34
71,45 


 500
 mínima
 5,00
 9.558
 4.878
 1.951,20
51,03 

 
 500
 otimizada
 7,00
 9.558
 6.829
 2.731,68
71,45 


 600
 mínima
 6,00
 11.470
 5.854
 2.341,44
 51,03


 600
 otimizada
 8,40
 11.470
 8.195
 3.278,02
71,45 


 1000
 mínima
 10,00
 19.117
 9.756
 3.902,40
51,03 


 1000
 otimizada
 14,00
 19.117
 13.658
 5.463,36
71,45 



   Tabela 3.  Coletor marca GENÉRICA - Classificação "D" no INMETRO

 Volume do reservatório (L)
 área de coletores
 área (m2)
Consumo  anual médio de energia com aquecimento (kWh)
 Economia média anual com o aquecimento solar
 (kWh)
 Economia média anual 
(R$)
 Fração de economia (%)


 200
 mínima
 2,00
3.823
1.344
 537,60
35,15


 200
 otimizada
 2,80
 3.823
1.882
 752,64
49,21


 300
 mínima
 3,00
 5.735
2.016
806,40
35,15


 300
 otimizada
 4,20
 5.735
 2.822
 1.128,96
49,21 


 400
 mínima
 4,00
 7.647
 2.688
 1.075,20
35,15


 400
 otimizada
 5,60
 7.647
 3.763
 1.505,28
49,21 


 500
 mínima
 5,00
 9.558
 3.360
 1.344,00
35,15

 
 500
 otimizada
 7,00
 9.558
4.704
 1.881,60
49,21


 600
 mínima
 6,00
 11.470
4.032
1.612,80
 35,15


 600
 otimizada
 8,40
 11.470
 5.645
 2.257,92
49,21 


 1000
 mínima
 10,00
 19.117
 6.720
 2.688,00
35,15


 1000
 otimizada
 14,00
 19.117
 9.408
 3.763,20
49,21 



Pode-se perceber pelas tabelas 2 e 3. que para um volume de 500L e área otimizada de coletores a diferença de eficiência do sistema que utiliza coletores "A" para o "D" chega a 22,24%. Isso se converte numa diferença na economia de energia de R$ 850,08 por ano. Ou seja, o sistema da Tabela 2. gera R$850,08 a mais de economia por ano do que o sistema da tabela 3. para o mesmo volume e a mesma área de coletores. Isso que dizer que se o sistema da tabela 2. for R$ 850,00 mais caro do que o sistema da tabela 3. em um ano de operação a diferença de preços entre um sistema e outro é paga pala diferença de economia.

O objetivo desta demostração é mostrar que o preço de compra do equipamento é importante porém não deve ser o fator determinante da compra do equipamento. Como os sistemas de aquecimento solar são centrais autônomas de geração de energia o futuro proprietário deve pensar como investidor e comprar o sistema que gera a maior quantidade de energia pelo menor preço.

Pesquisas demonstram que o Brasil tem grande potencial de uso para o aquecimento solar, e sua utilização em maior escala representará benefício para diversos setores da sociedade, sem falar nas vantagens refletidas para o meio ambiente. O aproveitamento solar pode retardar investimentos para construção de usinas para a produção de eletricidade, evitando, assim, os impactos ambientais que tais empreendimentos provocam. O setor residencial responde por 24% do consumo total de energia elétrica no País e, dentro desse setor, tem-se participação média de 26% do consumo total atribuído ao aquecimento de água, participação inferior somente à da refrigeração. Portanto, conclui-se facilmente que apenas o aquecimento de água para banho em residências brasileiras é responsável por mais de 6,0% de todo o consumo nacional de energia elétrica.

Resultados de trabalhos de pesquisa (MATAJS, 1997) que incluíram medições e levantamentos de dados por questionários, que a Universidade de São Paulo (USP) realizou em conjunto com a ELETROPAULO, no setor residencial, demonstraram que os chuveiros elétricos de 121%, ou seja, a potência do chuveiro ultrapassa a soma de todos os outros eletrodomésticos juntos. Demonstra, ainda, que a inclusão do chuveiro elétrico eleva a demanda máxima média em 365%, ou seja, no momento em que é utilizado o chuveiro elétrico, a demanda sobe para mais de 4,5 vezes o consumo médio. A substituição do chuveiro elétrico pelo aquecedor solar traduz-se em economia, em médio prazo, principalmente para o usuário final, pois exige baixíssima manutenção e possui vida útil, em média, superior a quinze anos, proporcionando economia na conta de energia.

Veja mais em: A hora e vez da energia solar nos hotéis  no site da ABRAVA.  Ou acesse o portal www.dasolabrava.org.br/ e tenha as melhores informações sobre o setor de Aquecimento Solar.

Use Aquecedores Solares!

Economize Energia!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...