sábado, 16 de julho de 2011

Redução de Custos - Reengenharia

Reengenharia...

* de processos
* de funções
* da organização





Reengenharia...
É o termo usado para inovar o ambiente produtivo da empresa. Para encarar novos desafios impostos pela sociedade e pelo mercado, uma empresa precisa de repensar os seus procedimentos operacionais. O objetivo é tornar as pessoas e as máquinas mais eficientes. Assim, será possível reduzir custos sem afetar a qualidade dos produtos e serviços. Os objetivos da Reengenharia são: redireccionar a operação, reduzir os custos, melhorar a qualidade, aumentar as receitas, incrementar a orientação para o cliente e ajudar na fusão das empresas. A ciência da Reengenharia apresenta-se em três vertentes, em função do nível hierárquico visado: a Reengenharia de processos, a Reengenharia de funções, e a Reengenharia organizacional da empresa. 

A Reengenharia de Processos, em traços gerais, permite às empresas diminuir os problemas de ineficiência, alto custo e insatisfação dos clientes. 

Diz-se mesmo que a Reengenharia saltou para a linha da frente da filosofia empresarial. Dado que as empresas estão sob uma intensa e permanente pressão para fazerem uso das oportunidades e ofertas do mercado, é importante que moldem os seus processos a fim de produzirem os seus produtos, ou prestarem seus serviços, segundo critérios mais económicos, apostando na redução de custos. As organizações mais atentas a este contexto acrescentam outros denominadores tais como: tempo, qualidade, flexibilidade, e a fundamental satisfação do cliente, seja ele interno ou externo. 

Assim, as iniciativas de melhoria de qualidade, e de melhoria contínua de processos, embora sejam essenciais, não são suficientes. Os atuais objetivos de pequenas melhorias em todos os processos empresariais devem dar lugar a esforços para atingir níveis elevados de melhoria em apenas alguns processos chave, a fim de obter níveis multiplicativos de melhoria, em vez de pequenas melhorias em todos os processos da empresa. 

No fundo, trata-se de identificar os processos ou procedimentos que compõem a operação global da empresa, e com isso torná-la mais competitiva. 

Os instrumentos novos e poderosos, que facilitam a reconfiguração fundamental do trabalho, são nada mais nada menos, do que a Reengenharia de Processos! 

A Reengenharia de Funções vai ao nível de cada pessoa no seu dia-a-dia. São inventadas novas maneiras de desempenhar a mesma função, ou as funções são alteradas para aumentar a contribuição de cada pessoa no objetivo da empresa.
Pode obviamente concluir, que existe grande interação entre Reengenharia de Processos e de Funções. 


Na Reengenharia Organizacional, trata-se de reinventar a empresa, transformar o negócio, definir novos objetivos, traçar novas estratégias para conseguir uma vantagem competitiva sustentável. Para conseguir, dentro da empresa, respostas rápidas às exigências do mercado, é necessário reestruturá-la administrativamente. Por vezes, durante um processo de reengenharia, pode concluir-se que uma estrutura vertical descentralizada responde melhor às forças do mercado do que a comum estrutura centralizada horizontal.



Apesar de a empresa se tornar mais competitiva,  por via da Reengenharia, o objetivo é crescer com base na cooperação, criatividade e inovação, e não na competição!

A reengenharia de processos de negócios vem sendo realizada nas organizações com maior freqüência, seja com apoio de consultorias especializadas ou com equipe própria. É através desta reengenharia que as empresas mudam a forma de fazer negócio. E por que mudam? Resposta única: competitividade! E para uma empresa ser competitiva ela deve ter em seus produtos e serviços: qualidade elevada e custos compatíveis.

Assim, para atingir elevação/aumento de qualidade e custos consistentes há necessidade de se pensar todo o tempo em melhorar a forma de fazer negócio.

Por exemplo, um consumidor que compra um livro pela Internet e obtém como resultado de pesquisa preços equivalentes em duas livrarias eletrônicas, certamente optará por aquela com melhor prazo de entrega. Neste caso, reduzir os ciclos (tempo) nos processos é também se tornar mais competitivo. Atualizar-se tecnologicamente também é fator de competitividade: exemplo disto são os dispositivos de segurança para realizações de transações eletrônicas que vêm sendo disponibilizados pelos bancos brasileiros.

Os exemplos de reengenharia de processos de negócios (do inglês BPR – Business Process Redesign) são inúmeros, como: um empreendedor do Colorado que criou uma pizzaria, que assa a pizza quando está a caminho da casa do cliente, através de um forno instalado em uma van. Outro exemplo é do empreendedor norte-americano que faz a troca de óleos e filtros on site, ou seja, enquanto você assiste a uma aula na faculdade ou está na academia, a empresa presta o serviço enquanto seu veículo está estacionado.


O mercado está cada vez mais competitivo, por isso, as empresas estão predispostas a mudar. Há hoje no mercado softwares específicos para mapeamento dos processos; anúncios de empregos já solicitam profissionais com vivência na área de redesenho de processos, inclusive, com conhecimento em gestão de processos, gestão de riscos e indicadores. Entretanto, um lembrete: a reengenharia de processos de negócios é diferente de “melhoria”, pois a reengenharia muda o processo de forma radical, enquanto a melhoria visa obter incrementos de desempenho nos processos de negócios.

Qualquer que seja o tipo de reengenharia a ser utilizada pela organização, ela deve ter como base o mercado, a competitividade da organização, as estratégias, o conhecimento e táticas; por isto, ocorre de forma top-down na empresa, pois envolvem estudos, pesquisas, riscos, investimentos em tecnologia e na capacitação de profissionais, além de criatividade e coragem.



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...